Olá Visitante! Acesse sua conta ou Cadastre-se

Show de Sucessos

12:01 às 14:00

A PARTIR DESTA 3ª

O Parque Municipal vai passar a fechar mais cedo a partir desta terça-feira (18). A alteração no horário será temporária e vai ocorrer em três dias da semana: terça, quarta e quinta-feira: o fechamento será às 17h, em vez das 21h - a entrada será permitida até às 16h30. Nos demais dias, o horário até mais tarde (21h) será mantido às sextas-feiras e aos sábados. Aos domingos, o fechamento segue às 17h.

A alteração do funcionamento é necessária para a realização do reforço anual da vacinação contra o vírus da raiva dos gatos que vivem atualmente no local, operação rotineira que faz parte do Plano de Manejo conduzido pelas secretarias municipais de Meio Ambiente e de Saúde, além da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica.

De acordo com a prefeitura, o plano também inclui o monitoramento da colônia de gatos, com a possível identificação de novos indivíduos, que serão castrados, vacinados contra diversas doenças, além da raiva, e identificados com microchip, que servirá para monitorar os dados sanitários de cada um regularmente, o que já ocorre com os gatos que vivem no parque.

Técnicos da Zoonoses estarão no parque de terça a quinta-feira, fazendo a captura dos animais para monitoramento e reforço da vacinação. Para aumentar as chances de sucesso e agilizar o trabalho com todos os felinos é necessário propiciar um ambiente mais calmo e silencioso para que os animais não se escondam ou fujam, facilitando as ações.

O Plano de Manejo dos felinos do Parque Municipal também inclui o encaminhamento dos animais para programas de adoção, o que ajuda a dar o destino correto e ideal para cada um deles. Os gatos que vivem no parque, além de receberem os cuidados de saúde já citados, são acompanhados diariamente por uma equipe composta de dois biólogos, dois veterinários e um tratador. 

Gatos no Parque Municipal

De acordo com a prefeitura de Belo Horizonte, a origem dos gatos do parque é o abandono de animais, crime previsto em lei (Lei Federal n.º 9.605 de 1998) e que o infrator está sujeito a diversas penalidades, de multas à prisão, por até cincos anos, sendo a pena aumentada de um sexto até um terço se o crime ocasionar a morte do animal. A Guarda Municipal da capital possui posto de vigilância dentro do parque e está atenta e treinada para abordagens a fim de coibir e registrar tentativas de abandono de animais no local.

* Com informações da PBH