Olá Visitante! Acesse sua conta ou Cadastre-se

Evidências

20:01 às 23:59

Contrato assinado

Após dois dias de reuniões, Prefeitura de Belo Horizonte, Câmara Municipal e Setra finalmente assinaram o acordo sobre o subsídio no transporte público da Capital. Um dos itens que travavam a assinatura era o prazo para pagamento de um subsídio às empresas. Nesta quinta-feira, ficou definido que o envio dos valores deverá acontecer até março de 2023. Houve também mudança no valor. Inicialmente, seriam R$ 207 milhões, pagos pela Câmara e pela Prefeitura. Após a reunião de ontem, R$30 milhões foram adicionados ao valor de subsídio a ser enviado pela Câmara, passando de R$47 milhões para R$77 milhões. O valor oferecido pela prefeitura foi mantido em R$163,5 milhões, totalizando, portanto, R$237,5 milhões.
Um novo ponto também foi adicionado aos 16 já existentes propondo que as partes apesentem, em até um ano, um projeto de aplicativo de mobilidade. A ideia é criar inovações para facilitar pagamento e utilização do transporte público na capital, sem prejuízo ao município.
O ponto mais importante do acordo é a adição de oito mil viagens de ônibus por dia na capital. Atualmente, são cerca de 13 mil viagens. No primeiro dia útil após o pagamento do subsídio, o número deve subir para 15 mil – são duas mil viagens a mais. Também haverá, no primeiro momento, aumento das viagens noturnas. Ficou acordado também que a passagem de ônibus não vai aumentar enquanto vigorar o subsídio. Então, até março de 2023, não acontecerão alterações no valor das passagens na Capital. A Superintendência de Mobilidade Urbana se responsabilizará por criar um número de contato, pelo aplicativo WhatsApp, e também um e-mail para que passageiros possam ajudar na fiscalização do cumprimento do acordo. Também ficou definido que os créditos dos cartões de ônibus usados pelos passageiros não poderão expirar. Qualquer eventual ressarcimento será realizado sem prejuízo ao usuário.