Olá Visitante! Acesse sua conta ou Cadastre-se

Evidências

20:01 às 23:59

Chuva em Minas Gerais: veja a situação das cidades atingidas nas últimas horas

As chuvas que atingem Minas Gerais há vários dias continuam deixando um rastro de destruição pelo estado. Conforme boletim divulgado pela Defesa Civil Estadual, na manhã desta segunda (10), 145 cidades estão em situação de emergência. Desde o início do período chuvoso, em outubro do ano passado, nove pessoas morreram, sendo três apenas no último fim de semana.

Desabamentos, deslizamentos, pessoas ilhadas e inundações são registrados em pontos críticos de cada município. Até o início desta tarde, ao menos 33 pessoas foram resgatadas nas aeronaves Arcanjo do Corpo de Bombeiros. Os salvamentos ocorreram em Ibirité, Piedade das Gerais e Conceição do Pará.

Veja a seguir a situação detalhada em alguns municípios atingidos nesta segunda-feira (10).

Belo Horizonte

De acordo com a Defesa Civil da capital mineira, desde as primeiras horas do dia até o fim da manhã, 70 solicitações, via telefone 199, foram atendidas. A maioria dos atendimentos foi para vistorias em imóveis particulares nas regionais Noroeste, Barreiro e Pampulha. No início da manhã, motoristas enfrentaram interdições em diferentes regiões da cidade por causa de consequências de deslizamento de terra e queda de árvore. Na Avenida Antônio Carlos, o trânsito precisou ser bloqueado após parte de um barranco ceder depois que o muro de um prédio caiu.

Nesse domingo, uma mulher de 42 anos morreu após a casa em que ela estava desabar no bairro Vila São João Batista, na região de Venda Nova. A vítima foi retirada do local, mas o óbito foi constatado por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Raposos

Em Raposos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, mais da metade da população está desabrigada, totalizando nove mil pessoas.

Santa Luzia

Em Santa Luzia, ao menos sete mil pessoas estão desabrigadas ou desalojadas. Nesta segunda, o Corpo de Bombeiros foi acionado no bairro Frimisa para o salvamento de duas pessoas e quatro cães. Nos últimos dias houve inundação do Distrito Industrial Simão da Cunha, e algumas ruas foram tomadas pela lama.

Rio Acima

O município de Rio Acima, na Grande BH, também sofre com os estragos da chuva. Na madrugada de sábado para domingo, o Rio das Velhas transbordou e atingiu grande parte da cidade. Pessoas tiveram que ser resgatadas de barco e o sistema de captação de água foi rompido.

Nova Lima

Após vários transtornos no bairro Honório Bicalho, a Prefeitura de Nova Lima informou que não há mais pessoas ilhadas, uma vez que o nível do volume do Rio das Velhas baixou bastante. Nesta manhã foi iniciado o serviço de limpeza de ruas, casas e ofertas de itens básicos de limpeza.

Desde o sábado até esta segunda, 600 casas foram alagadas e 182 pessoas resgatadas. Ainda conforme a prefeitura, "a situação do município no momento é de risco de deslizamentos de taludes".

São Gonçalo do Rio Abaixo

Em São Gonçalo do Rio Abaixo, na Região Central de Minas, uma menina de 11 anos morreu após um muro desabar no quarto em que ela dormia, nesse domingo (9).

Na cidade, o Rio Santa Bárbara transbordou e provocou alagamentos. Pelo menos 120 casas foram desocupados no bairro Guanabara e 34 famílias, totalizando 111 pessoas, estão desabrigadas.

Nova Era

Em Nova Era, na Região Central de Minas, uma ponte pênsil se rompeu parcialmente neste domingo em meio à forte chuva que atinge Minas Gerais. A estrutura cedeu depois que o nível da água do Rio Piracicaba ultrapassou a cota máxima. Alguns moradores continuavam isolados nesta segunda-feira.

Congonhas

Em Congonhas, na Região Central de Minas, cerca de 30 pessoas foram resgatadas no fim de semana por causa das chuvas, segundo o Corpo de Bombeiros.

De acordo com a prefeitura, 213 pessoas estão desabrigadas. Elas estão em escolas municipais recebendo alimentos, roupas e medicamentos. Os bairros mais afetados pelas chuvas são Boa Vista, Alvorada, Novo Rosário e Fonte dos Moinhos.

Contagem

As equipes da Defesa Civil e Guarda Municipal de Contagem monitoram e vistoriam localidades mais afetadas na cidade. No último fim de semana, segundo a prefeitura do município, 90 ocorrências foram atendidas, sendo 70% relacionadas a deslizamentos de encosta, erosão de vias e desabamento de imóveis e muros em razão da alta saturação do solo.

Mais de 20 pontos de alagamentos foram registrados. Não há registro de desabrigados.

Betim

Em Betim, 15 vias interditadas totalmente ou parcialmente. Até as 10h desta segunda, a Superintendência Municipal de Defesa Civil recebeu 688 chamados devido à chuva que atinge as dez regionais da cidade.

"Ao todo, 36 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas. Dessas, 9.251 estão desalojadas - 152 foram recebidas em cinco abrigos disponibilizados pelo município e as demais estão em casas de parentes ou amigos", informa a nota divulgada pela assessoria de imprensa.

Um homem morreu, no último sábado (8), após um deslizamento de terra. Em razão do volume de chuva, a Prefeitura de Betim informou que os serviços não essenciais terão o funcionamento suspenso até esta terça-feira (11). A orientação do município é que as pessoas fiquem em suas casas.

"A água já estava entrando na minha casa, eu saí com água no joelho. Eu não sei mais o que fazer", disse a dona de casa Cleusa Maria de Jesus Rocha, que mora no bairro Nossa Senhora de Fátima.

Esmeraldas

O Rio Paraopeba transbordou e casas foram alagadas em Esmeraldas, na Grande BH. Uma estrada da Comunidade Fazenda da Ponte foi tomada pela água.

Itabirito

A Prefeitura de Itabirito, na Região Central de Minas, decretou estado de calamidade pública nesse domingo. Durante o fim de semana, o Rio Itabirito transbordou, alagando imóveis nos bairros Santa Rita e São Geraldo.

Em 24 horas, a Defesa Civil Municipal recebeu 300 ligações. Cerca de oitenta pessoas, entre adultos e crianças, foram resgatados e encaminhados a um abrigo. Devido à situação na cidade, o transporte coletivo foi suspenso nesta segunda.

Sabará

Em Sabará, o Rio das Velhas transbordou e a água invadiu comércios e residências. De acordo com a prefeitura do município, há 110 desabrigadas e 130 desalojadas. O empresário Elísio de Almeida tem uma loja na cidade e estima que o prejuízo deve passar de R$ 150 mil.

"Na sexta-feira, nós subimos computador, o que conseguimos subir e colocamos no segundo andar. Agora, no pátio, no primeiro andar do escritório perdemos tudo", desabafou.

Ibirité

Após um deslizamento de barranco no bairro Durval de Barros, em Ibirité, no último fim de semana, casas foram atingidas e cerca de 40 pessoas foram retiradas de suas residências. Sete imóveis próximos à área de deslizamento foram interditados.

Mário Campos

Galpões ficaram debaixo d'água e moradores ficaram ilhados em Mário Campos, na Região Metropolitana. A estrada que liga o município ao terminal de carga em Sarzedo ficou interditada. Na MG-040, que liga Mário Campos a Brumadinho, foram registrados deslizamentos de barrancos.

São Joaquim de Bicas

Em São Joaquim de Bicas, a prefeitura decretou estado de calamidade pública. Nesse domingo, o Corpo de Bombeiros foi empenhado para o salvamento de aproximadamente 45 indígenas, entre eles 18 crianças, que ficaram ilhados. Três equipes da corporação deslocaram para os trabalhos na Aldeia Naô Xohã Pataxó – Funil.

Juatuba

Em Juatuba, o nível do Rio Paraopeba subiu e já atingiu várias áreas de sítios. Algumas casas estão debaixo d'água, no bairro Francelinos. Assim como em outras cidades, o município informou que precisa de doações de alimentos, água mineral, vestuários, roupas de cama e produtos de higiene pessoal, como sabonete, shampoo e creme dental.

Pará de Minas

Nesse domingo, a Defesa Civil de Pará de Minas, na região Centro-Oeste do estado, orientou que moradores da cidade, de Pitangui, Onça de Pitangui e Conceição do Pará deixassem suas casas devido ao risco de rompimento da Barragem do Carioca.

Nesta segunda, o nível de água da barragem segue sendo monitorado. Segundo a Defesa Civil, a cada 30 minutos, é feita a medição do volume de água da barragem.

Dores de Guanhães

Duas pessoas morreram e ao menos outras seis ficaram feridas após um talude desabar sobre diversas residências no Centro de Dores de Guanhães, no Vale do Rio Doce, nesse domingo.

"A cidade foi bem atingida, devido às fortes chuvas e se encontra sem abastecimento de água potável, energia elétrica e comunicação. A principal necessidade nesse momento é de água potável", informou Jacson Oliveira, da Defesa Civil de Guanhães.

São Francisco

No município de São Francisco, cerca de 46 famílias das comunidades de Recanto da Tapera, Assentamento São Francisco e Ilha das Porteiras saíram de suas casas e foram para imóveis de parentes.

Januária

Segundo a Defesa Civil Januária, quatro famílias já foram retiradas da comunidade de Croatá e estão em casas de parentes e em um abrigo da prefeitura.

“Hoje (segunda), o nível do rio está 8,46 m acima do normal e há risco de que outras comunidades ribeirinhas possam ser atingidas. A Defesa Civil está monitorando a situação e orientando os moradores”, explicou o chefe do órgão municipal, Jeferson dos Santos Cardoso.

Pirapora

Em Pirapora, a água já invadiu casas nas Ilhas do Coqueiro, Marambia e Pimentas durante o fim de semana.