Olá Visitante! Acesse sua conta ou Cadastre-se

Brasil Caboclo

04:01 às 07:00

Baladas, polêmicas e antiprofissionalismo; o sórdido fim de Thiago Neves.

Henrique Muzzi

O meia Thiago Neves conseguiu construir, ao longo dos anos, uma das carreiras mais vitoriosas do Brasil. Cria da base do Paraná, Neves apareceu para o mundo em 2008, ao fazer exibições brilhantes pela Copa Libertadores da América. Chegou a marcar 3 gols em uma final e por pouco não foi campeão aos 23 anos. Em sequência foi vendido ao Hamburgo, em uma negociação de 9 milhões de euros. Na Europa não despontou e logo voltou ao Flu. Assim alternou entre futebol árabe e Rio de Janeiro, inclusive com passagem pelo Flamengo, em 2011. 

Nos clubes do RJ, Thiago foi campeão Carioca em duas oportunidades, levou uma Copa do Brasil e um Campeonato Brasileiro. Em Minas, chegou ao Cruzeiro em 2017 como a principal contratação da temporada. Nos dois anos de contrato rendeu números impressionantes ao marcar 42 gols em 152 jogos. Foi um dos principais responsáveis pelo bi-campeonato consecutivo da Copa do Brasil, assim como do Mineiro. 

É inegável que Neves tem uma carreira vitoriosa. Entretanto, fora de campo, a história recente causa espanto. Dois dos episódios mais marcantes na passagem em Minas aconteceram em dezembro do ano passado, quando foi flagrado em uma festa no Mineirão, na mesma semana em que perdeu um pênalti contra o CSA (adversário do Cruzeiro, à época contra o rebaixamento) e também quando o famigerado áudio em que exigia o pagamento de salários ao então diretor, Zezé Perrella, foi divulgado. Em sequência, nos bastidores, muito se comentou sobre a falta de comprometimento do jogador no Sul do Brasil. No Grêmio, o meia foi afastado pela diretoria, após supostos episódios como a participação em festas, além do baixo rendimento físico. Por fim, teve o contrato rescindido. 

Nesta semana, o jogador chegou a acertar com o Atlético. No entanto, torcedores e conselheiros agiram, o que acabou impedindo a chegada. Mesmo após a confirmação de que ele não seria mais contratado, dezenas de pessoas foram até a sede do clube para protestar contra o fato. A rejeição foi atípica e histórica.  

O fato, claro, gerou repercussão nacional e certamente dificultará a chegada de Thiago Neves em outro clube. A má gestão de carreira foi e será preponderante na sequência.